ABENS: Associação Brasileira de Energia Solar
 

Aquecimento Solar


A transformação de energia solar em energia térmica pode ter diversas aplicações que estão relacionadas à temperatura necessária para o processo em análise. No Brasil, em geral, quando se fala em aquecimento solar se fala de aplicações na faixa de baixa temperatura, que vai da temperatura ambiente a aproximadamente 100°C, uma faixa de temperatura que não exige a concentração da energia solar.

Existe uma quantidade enorme de aplicações nessa faixa de temperatura nos setores residencial, serviços, industrial, agropecuário, entre outros. Processos de secagem, dessalinização, uso doméstico para higiene, aquecimento de piscinas e uma variedade de processos industriais estão entre as aplicações que se enquadram nessa faixa de temperatura.

O destaque maior da utilização de energia solar no Brasil está no uso de água aquecida para consumo doméstico. O maior número de instalações de aquecimento solar concentra-se em residências e condomínios residenciais de alto poder aquisitivo. O setor de serviços – com hotéis, motéis, pousadas, hospitais e clubes – também representa uma parcela significativa do mercado brasileiro de sistemas de aquecimento solar. Mais recentemente, o mercado de sistemas compactos, específicos para habitações de interesse social, está tendo um forte impulso graças a duas iniciativas. A primeira delas é a instalação de sistemas de aquecimento solar como ferramenta de gerenciamento pelo lado da demanda através dos programas de eficiência energética das empresas do setor elétrico, e a segunda é a introdução dos sistemas como equipamentos padrão nos projetos do programa de habitação popular Minha Casa Minha Vida. Outro mercado que vem ganhando destaque é o aquecimento de piscinas, visto que as demandas de energia térmica são muito grandes e como as temperaturas são baixas é possível obter bons resultados com coletores solares de baixo custo, proporcionando excelente viabilidade econômica.

Entre as diversas áreas de pesquisa, pode-se citar o desenvolvimento de sistemas de aquecimento solar. Nessa área existe a possibilidade de desenvolvimento de novas placas coletoras diversificando os materiais usados na construção e o desenho das mesmas, o mesmo sendo válido para os reservatórios térmicos e demais componentes do sistema. A integração de todos os componentes e estratégias de controle para maximizar a produção de energia dos sistemas também tem sido motivo de estudo e desenvolvimento recentemente.

O estabelecimento de marcos regulatórios e a introdução de leis específicas que incentivam o uso de sistemas de aquecimento solar também tem sido relevante na consolidação do uso dessa tecnologia no Brasil. Como consequência, outros aspectos relacionados à cultura de uso do aquecimento solar em larga escala e implicações sociais precisam ser discutidos com maior profundidade. Dentro desse panorama, ainda é importante ressaltar a falta de mão de obra em todos os níveis fazendo que programas de capacitação também sejam necessários.