ABENS: Associação Brasileira de Energia Solar
 

Histórico


A Associação Brasileira de Energia Solar (ABENS) foi criada em 17 de fevereiro de 1978 com os objetivos de promover a divulgação, o incentivo e os estudos da Energia Solar no país. A sede nacional da ABENS estava localizada na cidade de João Pessoa – PB, com endereço no Laboratório de Energia Solar da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), tendo como presidente o Professor Cleantho da Câmara Torres. A Diretoria eleita estava constituída por:

Presidente: Prof. Cleantho da Câmara Torres
Vice-Presidente: Prof. Arnaldo Moura Bezerra
Secretário: Prof. Josemar Silveira
Tesoureiro: Prof. Paulo Martins de Abreu

A sede da ABENS permaneceu na cidade de João Pessoa – PB até o ano de 1982. Posteriormente foi transferida para Curitiba, sob a presidência nacional do Prof. Ramiro Wahrhaftig e localizada na Universidade Católica do Paraná. Com o término do mandato do Prof. Wahrhaftig, em 1985 a sede da ABENS foi transferida para o Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia (COPPE), na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), sob a presidência nacional do Prof. Cirus Hackenberg. Em 1987 a sede da ABENS foi transferida para a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em Porto Alegre, sob a presidência nacional do Prof. Oscar Daniel Corbella, então liderando o Grupo de Energia Solar da UFRGS. Com a transferência do Prof. Corbella para a UFRJ, assumiu o vice-presidente, Prof. Arno Krenzinger até 1989, quando foi eleito como presidente nacional da ABENS o Prof. Ernani Sartori, do Laboratório de Energia Solar da UFPB, retornando assim a sede da ABENS a João Pessoa – PB. Em 2001 a sede da ABENS foi transferida para a cidade de São Paulo – SP, tendo ficado sob os cuidados do jornalista e advogado Randolpho Marques Lobato e do Prof. Arnaldo Moura Bezerra até 2005.

A ABENS promoveu várias Reuniões Anuais de Trabalho. A primeira delas foi realizada no Centro de Tecnologia da UFPB. A segunda Reunião de Trabalho teve lugar no Auditório do Centro de Tecnologia da UFPB, em junho de 1980. A terceira Reunião Anual de Trabalho, com a presidência nacional da ABENS a cargo do Prof. Cleantho da Câmara Torres, foi realizada em Curitiba – PR, na Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), em julho de 1982. A terceira Reunião de Trabalho da ABENS foi uma promoção da PUCPR, do Laboratório de Hidráulica, Saneamento e Meio Ambiente (LHISAMA) e da Regional Paraná da ABENS, cuja presidência regional estava sendo ocupada pelo Prof. Ramiro Wahrhaftig.

O primeiro Boletim ABENS, publicado em agosto de 1979, trazia como matéria principal a Primeira Reunião de Trabalho da ABENS. Ao todo, foram publicados 14 números do Boletim ABENS. Os 13 primeiros números, quando a sede nacional da ABENS era em João Pessoa – PB. O último número foi publicado quando a Regional Paraíba da ABENS era presidida pelo Prof. Arnaldo Moura Bezerra, ocasião em que a presidência nacional se encontrava no Rio de Janeiro – RJ.

Os anos de crescimento da pesquisa em energia solar no Brasil coincidem com a crise internacional do petróleo, situação que, na época, estimulava pesquisadores e autoridades responsáveis pela área de energia a procurar alternativas para essa crise. Entretanto, atravessada sua pior fase, na segunda metade dos anos 80, os recursos disponíveis para a realização de pesquisas na área de energia solar começam a sofrer uma retração, o que concorre decisivamente para uma redução na produção científica dos pesquisadores ativos nessa área. Como conseqüência do aumento da produção de petróleo doméstico e a estabilização do consumo, sobrevém um período de paulatino abandono das políticas, anteriormente implantadas, de incentivo às fontes renováveis de energia e, em particular, à energia solar. Boa parte do esforço realizado até esse momento, no espaço mais amplo das fontes renováveis de energia, começou a ser dilapidado, com efeitos bastante graves para o futuro da utilização dessas tecnologias no Brasil. Como resultado deste quadro geral de corte de recursos e desestímulo às fontes renováveis de energia, uma parte dos grupos de pesquisa encerrou sua atuação em energia solar, transferindo-a para outros temas. Em outros casos, reduziram o nível de atividade devido à redução do número de pesquisadores ou falta de recursos, e outros abandonaram simplesmente a atividade de pesquisa, com grande prejuízo para o que tinha sido construído até esse momento no campo da ciência e da tecnologia solar no Brasil.

Não deve chamar a atenção, portanto, que exatamente nesse período a Associação Brasileira de Energia Solar sofre um processo de desagregação, que começa a ser revertido a partir dos anos 1992-1993. A partir dessa data verifica-se, através de diversas iniciativas, uma tentativa, aparentemente mais madura, embora bastante tímida, de reiniciar as atividades científicas e tecnológicas no campo da energia solar. Muita coisa tem sido feita a partir desses anos; porém, ainda hoje nos encontramos tentando reconstruir o que foi perdido em matéria de recursos humanos, infraestrutura e patrimônio científico existente no país no início da década do 80.


Crograma de Reativação da ABENS

17/09/2004 – Durante o XII Congresso Ibérico e VII Congresso Iberoamericano de Energia Solar realizados em Vigo-Espanha, um grupo de pesquisadores brasileiros manifestou, em um documento intitulado CARTA DE VIGO, a necessidade e a disposição para a reorganizar a Associação Brasileira de Energia Solar – ABENS.

16/05/2005 – Durante o II Simpósio Nacional de Energia Solar Fotovoltaica – II SNESF- organizado pelo CRESESB e CEPEL, realizado no Rio de Janeiro, foi realizada uma reunião para discutir as medidas necessárias para reorganização da ABENS (RELATO ABENS II SNESF). Durante a reunião, o Prof. Paulo Carvalho propôs a cidade de Fortaleza para realizar o primeiro congresso da ABENS – 1º Congresso Brasileiro de Energia Solar.

21/11/2005 – Em reunião realizada durante o X Seminário Iberoamericano de Energia Solar em Recife – PE, com a presença do Presidente da ABENS, Dr. Randolpho Lobato, e do Vice- Presidente, Prof. Arnaldo Moura Bezerra, um Grupo de Pesquisadores das regiões Norte-Nordeste, decidiu, através de uma comissão provisória, compor uma diretoria para a ABENS com os seguintes objetivos: a) Realizar o recadastramento de sócios da ABENS; b) Atualizar o estatuto da ABENS junto aos órgãos públicos competentes; c) Convocar eleições para uma próxima Diretoria Nacional durante o ano de 2006 e, finalmente, d) Organizar o 1º Congresso Brasileiro de Energia Solar (I CBENS), a ser realizado em Fortaleza, Ceará, durante o mês de abril de 2007. A Diretoria proposta se comprometeu também em criar um portal na Internet, para a divulgação das decisões tomadas nesta reunião, e demais documentos relatando todas as ações implementadas visando à revitalização da ABENS (ATA DA REUNIÃO).